Dicas

Boa alimentação

Dê preferência a alimentos saudáveis, tais como leite, queijo, legumes, carnes e frutas.
Evite o consumo de bebidas e alimentos açucarados. Ao ingeri-los, lave os dentes logo de seguida.

Escovagem adequada

Lave os seus dentes no mínimo três vezes ao dia, após as refeições e principalmente antes de dormir.
Não esqueça que o uso do fio dentário antes da escovagem é muito importante, assim como a higienização das gengivas e da língua.

Como salvar um dente?

Como resultado de um trauma, um dente intacto de uma criança ou adulto pode por um golpe soltar-se. Caso isso ocorra proceda da seguinte forma:
1 - Permaneça calmo.
2 - Aja com rapidez, localize o dente, segure-o pela coroa, nunca pela raiz.
3 - Não tente limpá-lo.
4 - Mantenha o dente húmido, coloque-o num copo com água, leite ou soro fisiológico, caso não seja possível, ponha-o na boca junto à bochecha (Cuidado para não engolir).
5 - Procure imediatamente um dentista.

Como usar o fio dentário no caso de possuir aparelho ortodôntico?

O uso do fio dentário é tão importante como a escovagem. Ele é fundamental para remover a placa bacteriana e resíduos de alimentos que ficam entre os dentes, lugares que a escova não alcança.

Após as refeições, além da escovagem, limpe os dentes com um fio dentário de ponta rígida ou utilize fio normal com a ajuda do passa-fio. Não utilize palitos, eles podem danificar o aparelho ortodôntico.

Como prevenir o desenvolvimento de cáries?

Felizmente, pode prevenir-se facilmente o desenvolvimento de cáries se praticar uma rotina apropriada de cuidados bucais. Eis uma lista do que se deve fazer:

- Lave os dentes duas vezes ao dia com uma escova com cerdas macias - preferencialmente de manhã após o pequeno-almoço e antes de dormir.
- Use uma pasta de dentes com fluór - está comprovado que o fluór ajuda a prevenir cáries
- Limpe entre os seus dentes diariamente para remover placa de áreas que a sua escova de dentes não consegue alcançar
- Coma uma dieta saudável e evite lanches frequentes com alimentos e bebidas açucaradas
- Visite o seu dentista regularmente - pelo menos uma vez a cada seis meses, para limpeza e exame

Os dentistas recomendam que troque a sua escova de dentes pelo menos a cada três meses ou antes, se a escova de dentes parecer gasta. Pesquisas mostram que uma escova de dentes nova consegue remover mais placa do que uma que tem três meses de idade. 


Mau Hálito

A halitose pode alterar a vida social, familiar e até mesmo de trabalho de uma pessoa. A presença do mau hálito, mesmo não tendo grandes efeitos clínicos para a pessoa, pode, na maioria das vezes, provocar sérios prejuízos psicossociais: insegurança ao se aproximar das pessoas, depressão, dificuldade em estabelecer relações amorosas, resistência ao sorriso, ansiedade e baixo desempenho profissional são algumas de suas consequências relatadas por pessoas que sofrem ou sofreram com o problema.

Para iniciar o tratamento contra o mau hálito é preciso descobrir primeiro a causa, pois o problema pode ser originado por diversos fatores bucais e não bucais. As causas podem ser problemas bucais e não bucais. Ao perceber que tem mau hálito, a pessoa deve procurar o dentista, que poderá identificar se a causa é cárie, doença periodontal, alguma lesão na boca, uma higiene oral deficiente, até casos de neoplasia e algum tipo de câncer pode provocar halitose. Mas também pode não ser bucal. Pode ser, por exemplo, uma sinusite, uma amigdalite, uma faringite, uma rinite. Então o dentista vai te orientar a procurar um profissional especializado.

Para evitar a halitose é importante também fazer a higienização correta da boca, principalmente da língua. A prevenção é a medida mais importante no caso do mau hálito. Ele recomenda cuidado com a higiene bucal. Assim que a pessoa se alimentar deve fazer a sua escovação, usar fio-dental e não esquecer a língua. O ideal é que tudo isso seja feito logo após a refeição, sem deixar que passe mais que vinte minutos.

É importante frisar que os antissépticos bucais não substituem escovagem, nem curam o mau hálito. Esses antisépticos prometem eliminar os germes que causam cáries e mau hálito, proteger as gengivas e branquear os dentes.

Evitar o mau hálito é o motivo que mais leva o consumidor a usar os antissépticos bucais. Todavia, eles não resolvem o problema, que em 90% dos casos tem origem em áreas com tártaro. Os produtos para bochechos apenas atenuam o odor desagradável.

São tantos produtos no comércio, com álcool ou sem – alguns só para crianças -, que o consumidor fica sem saber se vale a pena bochechar. Para não correr o risco de gastar dinheiro à toa e ainda ter problemas como irritação da boca, é melhor consultar um dentista.

Quando a placa bacteriana já se formou, dificilmente os antissépticos ajudam porque os germes criam uma capa que impede a ação das fórmulas. Se a pessoa não escova bem os dentes e não usa o fio dentário depois das refeições, nem adianta bochechar. Os produtos não acabam de vez com germes nocivos e, em excesso, ainda podem provocar desequilíbrio da flora bacteriana na boca. Há quem acredite que o fato de a fórmula arder na boca, devido à presença de timol e eucaliptol, significa que ela matou tudo.

É indicado o uso dos antissépticos em duas situações: ao acordar, quando a pessoa não quer escovar os dentes antes do café da manhã, e no consultório dentário para consulta. E alerta: algumas soluções compradas em farmácias contêm clorexidina (também presente no Merthiolate) e são indicadas por curto período depois de cirurgias na boca. Mas há pessoas que aplicam esse produto além do recomendado ou nem precisam dele:

Isso pode causar descamação da mucosa, alterar o paladar e até mesmo manchar os dentes.

Quanto aos antissépticos que prometem branquear, isso é diferente de branqueamento, que só é obtido com tratamento específico. Esses produtos devem ser aplicados com orientação.
 

Copyright ©2016 Dentys - Clínica de Medicina Dentária em Aveiro. All rights reserved.